Empreendedorismo

Dizer que o empreendedorismo é uma tendência no Brasil é ser redundante e nada original. O empreendedorismo é tendência no Brasil e no mundo desde os primórdios da humanidade. De qualquer forma, começando um negócio do zero ou não, você precisa saber que o país é um daqueles em que essa tendência está mais consolidada.
Há alguns números impressionantes, como os da pesquisa GEM 2017, realizada pelo SEBRAE/IBPQ. O resultado revela que a participação de jovens, entre 18 e 34 anos, no universo de empreendedores iniciantes brasileiros cresceu, em 2017, de 50% para 57%. No total, são quase 50 milhões de empreendedores no Brasil, que tem um TTE (Taxa Total de Empreendedorismo), de 36,4%.
Enfim, devemos concluir que o empreendedorismo se tornou, mais que uma tendência, um traço cultural do brasileiro. Com o tempo é possível acreditar que esse universo se qualifique e eleve as transformações em curso na economia ao patamar de indutoras de prosperidade e renda.
O propósito desse artigo é prestar uma pequena contribuição para que essa qualificação seja acelerada. O tema é “começando um negócio do zero”, que se aplica a empreendedores que não sabem muito bem por onde começar, assim como a outros tantos que já começaram, mas estão em busca de reconhecer e entender o próximo passo a ser dado.

Por onde começar?

Seria pretensioso deixar de reconhecer aqueles empreendedores que seguiram sua intuição e montaram empreendimentos de sucesso. A forma de começar é diferente para cada um. Muitas vezes, o empreendimento entra em nossas vidas sem que percebamos. Quando nos damos conta, a única alternativa possível é abrir uma empresa e contratar.
O começo pode ser uma habilidade, que se transforma em negócio, ou uma oportunidade irresistível, que faz você entrar no mundo do empreendedorismo. Em algum momento, no entanto, você precisa parar para entender onde está e definir, de forma minimamente segura, para onde ir. Esteja nessa fase ou ainda em busca de uma ideia, esse passo a passo serve para você.
Vamos começar?

1 – Encontre uma oportunidade

As oportunidades estão por todo lado. É preciso saber reconhecê-las, o que não é fácil, mas essa é a habilidade dos grandes vencedores no mundo dos negócios. Esses são os que conseguem perceber o que passa despercebido aos olhos de outros.
Aprenda a pensar como um empreendedor. Leia, observe e fique atento ao comportamento das pessoas. Acompanhe as novas necessidades e as tendências de consumo. Lembre-se de que qualquer empreendimento só tem sentido enquanto ferramenta útil para atender a necessidades reais de pessoas, empresas e organizações privadas ou governamentais.
Encontrar oportunidades é uma tarefa para sempre, porque o mundo muda e sua empresa também terá que mudar. Elas são os tijolos do crescimento do seu negócio.

2 – Cheque suas habilidades

Já observamos que muitos negócios de sucesso nascem da habilidade de seus criadores. Ter as habilidades necessárias para o negócio é fundamental para o êxito do empreendimento.
Tenha em mente que de nada vale identificar uma oportunidade se você não tiver as habilidades que essa oportunidade requer. Você não vai abrir uma corretora de valores se suas habilidades são relacionadas a artesanato e confecção. Nesse caso, para encontrar as oportunidades corretas, é melhor você estudar as tendências da moda, os novos canais digitais de comercialização de produtos e outros aspectos ligados à área.

3 – Apaixone-se pela oportunidade

Algumas pessoas conseguem obter êxito em seus empreendimentos mesmo sem um planejamento mais detalhado. É que às vezes a energia colocada na atividade é tão expressiva, que faz as coisas acontecerem. Nem por isso, por favor, vamos nos deixar guiar pelo acaso e pela sorte.
É claro que você deve pensar duas vezes antes de mergulhar de cabeça em um negócio que não desperta sua paixão, mesmo que a oportunidade pareça muito boa. Levar em conta só a paixão, por outro lado, é aceitar um risco indefinido, logo mais perigoso.
Imagine, porém, uma situação em que você identifica uma oportunidade, se apaixona por ela e, para completar, descobre que tem as habilidades necessárias para transformá-la em um empreendimento. Você já terá dado um passo gigantesco para o sucesso.

4 – Faça o planejamento estratégico

Até aqui estava muito bom, mas lá vem o tal do planejamento estratégico para nos desafiar. Sim, o planejamento estratégico é um desafio, mas você precisa encará-lo. O propósito é que seu empreendimento possa perceber onde está, definir para onde ir e como chegar até lá.
Você tem ou vai precisar de uma cadeia de fornecedores? Qual o poder de barganha que você tem com relação a eles e eles com relação a você?
Quem são seus concorrentes? O que eles produzem? Qual o posicionamento estratégico de cada um deles? Quais preços eles praticam e qual o valor que entregam?
Quem é o seu público-alvo? Onde ele está? Como e onde compra? Quais são suas características psicográficas? O que os influencia e o que eles detestam?
Qual o tamanho da estrutura que você precisa ter? Qual o custo de aquisição e manutenção dessa estrutura? Qual o investimento em mercadoria, pessoal e serviços? Quanto custa a operação?
Quanto você terá que investir inicialmente? Quanto terá que investir anualmente? Qual a previsão de receitas? Qual a lucratividade esperada e a lucratividade aceita? Em quanto tempo você pretende recuperar o investimento? Isso é possível?
Com algumas diferenças, todas essas perguntas precisam ser respondidas no planejamento estratégico. Respondê-la é dar mais precisão e segurança à sua caminhada.

5 – Invista em sua marca

Se você concluiu que o negócio é viável e está pronto para investir, para erguer a estrutura e começar o negócio, faça antes um plano para ativar e fortalecer a sua marca na mente do público.
Crie um posicionamento, que é uma declaração de como você pretende ser visto pelo seu público. Esse posicionamento irá se refletir na sua identidade visual, no design dos seus produtos, na comunicação e até mesmo na construção dos canais comerciais e de relacionamento com seus clientes.

6 – Invista em organização e controle desde o princípio

Quase tudo pronto para começar, mas não podemos deixar de fora duas providências essenciais para o sucesso:
– organize-se;
– crie mecanismos de controle.
Procure trabalhar com processos enxutos e eficientes. Automatize-os. Comece em um ambiente limpo, onde as informações fluem e as decisões podem ser tomadas com agilidade e o máximo possível de previsão e confiança.
Você prefere fazer o controle de estoque no olho ou ter um sistema que cadastre e atualize os itens de acordo com a movimentação das mercadorias no PDV? Você quer que um registro de venda seja acompanhado pela geração automática da nota fiscal, dê baixa no estoque e gere relatórios de vendas e financeiros em tempo real, não é isso?
Se o seu negócio já começa organizado, com processos ágeis e fluxo de informações eficiente, ao final de um ano você terá uma visão global e crítica do negócio, capaz de respaldar decisões mais qualificadas. Isso ajudará a impulsionar seu crescimento.
Procure um bom software de gestão empresarial, preferencialmente, hospedado na nuvem, que permite que você possa ter a visão instantânea de tudo o que acontece de qualquer lugar e a qualquer hora, podendo tomar decisões com mais agilidade e precisão.

7 – O pulo do gato para quem está começando

Da mesma forma como começamos, vamos terminar falando em oportunidades. As oportunidades não estão relacionadas apenas a formas de atender a um determinado público e lucrar com isso. Há oportunidades, também, para você customizar a sua estrutura.
Customizar é ter exatamente o que você precisa. No caso do coworking, a customização servirá para gerar queda substancial dos custos sem perda de qualidade estrutural e logística. Por que ter um escritório, se você pode trabalhar em casa? Por que ter custos desnecessários com transporte?  Por que não ter uma sala de reunião que você só vai utilizar e, consequentemente, pagar por ela, quando precisar?
Procure saber mais sobre o coworking, uma ferramenta criada para a customização de espaços, compartilhamento de estruturas e integração ente profissionais e empreendedores. Você pode ter uma pequena sala no espaço físico do coworking ou, preferindo trabalhar em casa, ter um escritório virtual, com endereço e secretária. Quando precisar se reunir com seus clientes, basta reservar uma sala de reunião, que será paga pelo tempo utilizado.
Para quem está começando um negócio do zero, é uma excelente alternativa para estabelecer custos administrativos e operacionais baixos, evitando desperdício de recursos, que podem ser investidos no seu negócio.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário